sexta-feira, novembro 28, 2008
Grande Momento: Birth (2004)



A prova de que Nicole Kidman é a maior de uma geração, num dos filmes mais subvalorizados do cinema presente.
posted by Carlos Pereira @ 10:00 da tarde   5 comments
quinta-feira, novembro 27, 2008
Changeling

"He's not my son"

"I want my son back"
"You're not my son"

Nós percebemos a ideia. Nos primeiros 15 minutos. Era mesmo necessário metade de um filme em que Angelina Jolie se limita a repetir a mesma frase (e suas variantes) ? Eu acho que não. Assim como achei o melodrama da vida real demasiado lamechas, insípido e até mesmo... aborrecido. 

Clint Eastwood falhou redondamente desta vez. Não lhe basta uma boa história, uma grande actriz e um passado recente de vitórias, para conseguir mais uma obra prima. Longe disso. Changeling está carregado de sensações de dejá-vu. E desta vez não falo da irritante frase que Angelina Jolie repete até à exaustão. Falo sim, de todos os cenários repescados de outras obras, colados à pressa sem cuidado aparente com a linha temporal. Temos a cena mãe-filho, a cena do reencontro, a cena na esquadra, no hospício, no tribunal, os flashbacks (que nos manipulam e relembram: chorem, que isto é uma história mais ou menos real). Cheguei a duvidar de que isto seria mesmo Eastwood e perguntei: onde estão todas as subtilezas a que ele nos habituou? O que é feito da sua visão crua do mundo real, que nos mostrou em Mystic River, por exemplo? 

Tudo isto cheira, demasiado a Oscar para realmente nos fazer importar com a história ou com os personagens. E Angelina Jolie. A mãe despedaçada não é mais do que uma frase solta. "Eu quero o meu filho". "Eu quero o meu filho". "Eu quero o meu filho". Ahm, já procuraste debaixo do chapéu?

posted by not_alone @ 9:56 da tarde   2 comments
quarta-feira, novembro 26, 2008
O melhor da música Britânica
Visto que a nossa sondagem este mês é sobre as melhores bandas britânicas, aqui fica a notícia de que, alguns dos seus mais famosos músicos decidiram formar uma espécie de Superbanda.

O grupo chama-se The Hookham Boys e é contituído por Angelo Bruschini (Massive Attack, Blue Aeroplanes), Damon Reece (Massive Attack, Echo & The Bunnymen, Spiritualized), Alex Lee (Placebo, Suede, Goldfrapp, Strangelove), Joe Allen (Strangelove), Sean Cook (Spiritualized, Lupine Howl, The Flies), Jake Drake Brockman (Echo & The Bunnymen) e Vincent Pellegrino (Ginger bloke from 'Casualty').

Por enquanto a banda ainda só dá concertos, mas espera-se para breve um CD de originais.

posted by not_alone @ 12:23 da tarde   1 comments
segunda-feira, novembro 24, 2008
Sondagem | Balanço
Depois de quase dois meses em votação e 152 votos, os nosso leitores elegeram o maior poeta português:



Fernando Pessoa (sem grande surpresa) foi o vencedor:

#1 - Fernando Pessoa - 52 votos
#2 - Camões - 25 votos
#3 - Sophia de Mello Breyner - 13 votos

O resto dos votos ficaram divididos mais ou menos de forma equilibrada pelos restantes nomes.

______

A próxima sondagem já está disponível. Desta vez pretendemos saber, com a vossa ajuda, Qual é a banda britânica preferida? Podem votar, e não se esqueçam que, caso a vossa escolha não esteja na lista, podem sempre acrescentá-la na opção Other!
posted by not_alone @ 3:24 da tarde   3 comments
Sugestão musical - All my friends

Já conhecia o original dos Lcd Soundsystem... Não conhecia era esta cover dos Franz Ferdinand...

Gosto mais do original, acho-o mais límpido... Ainda assim, aqueles harmónicos na guitarra e aquela irreverência toda, acrescentam qualquer coisa...

Mais uma prova de que as covers fazem sentido, desde que acrescentem algo...

Sobre a letra, apenas dizer que é bonito que se diga I wouldn't trade one stupid decision for another five years of "life"... Não é só bonito, é reconfortante!

:)

posted by Ursdens @ 12:51 da tarde   0 comments
sexta-feira, novembro 21, 2008
The Wrestler


Pessoalmente, aguardo como poucos este novo filme de Darren Aronofsky. Promete ser um objecto singular e comovente. Um regresso às lides clássicas de um Rocky. Uma homenagem ao poder da força e alma humana. Uma ode ao não desistir. Uma metáfora ao eu vou continuar de pé por muito que as coisas me corram mal e eu teime em as estragar. E acima de tudo, o renascer de Mickey Rourke.
posted by The Stranger @ 12:39 da tarde   3 comments
quinta-feira, novembro 20, 2008
Arte Lisboa


Abre hoje ao público (às 16h) a 9ª edição da Arte Lisboa, na FIL. Ao todo são 70 galerias (45 nacionais) e centenas de obras numa estrutura preparada para dar destaque à Arte e, claro, ao negócio da mesma (sem nenhuma crítica subjacente). Quem quiser pode dar um saltinho ao Parque das Nações e visitar a feira, “que está com muito bom aspecto”, como comentavam alguns habitués pouco antes das portas abrirem para uma espécie de preview. Há galerias do Brasil, Alemanha e mais uns poucos países. Depois das portuguesas, são naturalmente galerias (e artistas) de Espanha que estão a povoar mais espaço.
Dois pequenos destaques, ainda:
Primeiro, à MUVART – movimento de arte contemporânea de Moçambique -, um pequeno colectivo de artistas que nos últimos anos tem mudado o paradigma social e cultural em Moçambique, através da quebra de barreiras artísticas. Um pequeno movimento habituado a questionar. Em segundo lugar, destaque ainda para uma simples frase perdida que me chamou à atenção no decorrer da exposição.

“The only possible dialogue is a monologue”

A feira estará patente até dia 24.
posted by P. @ 3:09 da tarde   0 comments
segunda-feira, novembro 17, 2008
Vicky Cristina Barcelona

Apresentado ontem em antestreia nacional no Estoril Film Festival, o novo filme de Woody Allen é mais um excelente exemplo de um cinema da subtileza que caracteriza a sua filmografia. Portentoso contador de histórias, focando-se nas pequenas oscilações que derivam de uma narrativa simples, Allen assume aqui um extremo de economia cinematográfica. O sarcasmo continua a preencher aquelas vidas impulsivas – grande, grandioso trio composto por Scarlett Johansson, Javier Bardem e Penélope Cruz, completado por uma magnífica Rebecca Hall. A narrativa desenrola-se sobre as relações sexuais e afectivas de um leque de personagens em evoluções improváveis, violentas, onde as emoções são comprimidas até ao ponto fulcral. Estamos perante histórias de amor pouco convencionais numa cidade de Barcelona filmada sempre de forma parcial, hábil, sem odes ou hipérboles – e que mesmo assim nunca deixar de ser profundamente fascinante, cercada por uma aura de sedução. Ali respira-se a fugacidade das vivências sem se perder a intensidade, para depois tudo se diluir. Que todos os momentos de cinema fossem tão aprazíveis como este.
.
posted by Carlos Pereira @ 11:01 da tarde   3 comments
sábado, novembro 15, 2008
Sugestão Musical | Azure Ray | Hold on Love

Maria Taylor e Orenda Fink são as “meninas” que compõem Azure Ray. O dueto já existe há alguns anos, e já tem uns quantos álbuns – paralelamente têm andado a cimentar as suas carreiras a solo. O vídeo é de uma música excelente (New Resolution), pessoalmente a minha favorita de um álbum (Hold on Love) que conheço há uns anos e que voltei a ouvir esta semana. Não sei ao certo como têm sido, musicalmente, os últimos anos de Maria e Orenda, mas por esta altura no longínquo ano de 2002 estavam em excelente forma.

posted by P. @ 3:57 da tarde   2 comments
quinta-feira, novembro 13, 2008
Grande Momento | Popota e Tony Carreira



Apesar das muitas opiniões existentes sobre esta hipopótamo cor-de-rosinha (fofa e sorridente), a campanha da Popota este ano é o exemplo perfeito de que vale a pena sonhar e ser feliz. Tony Carreira é o «lucky one» que viaja no mundo imaginário da Popota. E claro, o casal do momento não podia deixar de marcar presença no nosso Grande Momento :)

Para além disso, este "grande" momento (de publicidade, é certo) chega até ao grande público de uma forma extremamente inteligente - seduzindo os mais novos, pela animação e pelos personagens; e envolvendo os mais velhos, ao evocar a memória de filmes que marcaram o a história do cinema.

posted by Ana Silva @ 6:34 da tarde   2 comments
Rolling Stone elege os 100 melhores cantores de sempre



A revista Rolling Stone, juntamente com os seus leitores e um grupo de jornalistas especializados, aventuraram-se na criação da lista dos 100 melhores cantores de sempre. Como nós por aqui gostamos sempre de listas, cá ficam os 10 primeiros lugares. Ainda de destacar que este mês a revista saíu com uma edição especial de 4 capas diferentes, que também apresentamos aqui.

1. Aretha Franklin
2. Ray Charles
3. Elvis Presley
4. Sam Cooke
5. John Lennon
6. Marvin Gaye
7. Bob Dylan
8. Otis Redding
9. Stevie Wonder
10. James Brown

Podem ver a restante lista aqui
posted by not_alone @ 2:55 da tarde   5 comments
quarta-feira, novembro 12, 2008
Entre os Dedos

Em certos dias, pensamos no que nos cai por entre eles; noutros dias preferimos olhar (e por vezes dar valor) ao que fica nas nossas mãos – o que resta e que não se esvai por entre os dedos. Temos 20: dez nas mãos e dez nos pés, mas ainda assim parecem ser poucos para tudo aquilo que queremos tocar, sentir, guardar, tornar nosso.

O que esperar de um filme como este, mais cru, mais pesado, onde a película sempre a preto e branco parece desnudar os personagens, tornando-os mais intensos. Depois deste filme, resta-nos o que está (entre) nos dedos e que escolhemos agarrar (o que guardamos para nós) e o que queremos largar mas não podemos, não conseguimos (por vezes nem queremos).

O novo filme de Tiago Guedes e Frederico Serra tem por base, uma vez mais, um belíssimo argumento de Rodrigo Guedes de Carvalho. E talvez por isso, volta a colocar as emoções humanas numa metáfora envolvente e muito bem conseguida. A história podia ser a de qualquer um de nós, um casal estrangulado por um súbito despedimento, com dois filhos pequenos e uma relação desgastada, diria mesmo, incompreendida. Isabel Abreu tem neste filme o seu melhor desempenho, ao lado de Filipe Duarte, que mantém sempre o seu nível extraordinário. Nesta mulher não se consegue distinguir a mãe da esposa, tal o seu desespero perante um marido inerte e inconformado, e um sem fim de dívidas e obrigações. O retrato perfeito de quem já não aguenta mais, de quem fala sem ser ouvida, de quem chegou a uma fase onde os meios justificam os fins. Uma relação sem diálogo.

Paralelamente a esta família, surge a história de um seropositivo(?) em fase terminal. Alguém que, de uma outra forma, também procura uma solução que ponha um fim ao ‘problema’. Apesar de ser uma história aparentemente menor no contexto do filme, o desempenho da dupla Gonçalo Waddington e Fernanda Lapa (igualmente notável) renova o sentido do filme, mostrando-nos quase em jeito de contraponto, um outro lado do desespero: aquele onde não temos alternativas e contra o qual já não lutamos.


posted by Ana Silva @ 2:27 da tarde   1 comments
terça-feira, novembro 11, 2008
Sugestão musical - CocoRosie

Esta música já tem algum pó e a qualidade do vídeo, ao vivo, não é a melhor...

De qualquer forma, é sempre agradável ver estes "anjos terríveis" a falarem de outros anjos terríveis de uma forma tão "qualitativamente natural"...

posted by Ursdens @ 4:50 da tarde   3 comments
Damages - 2ª temporada
Damages é, como sabem aqueles que leram a review da 1ª temporada, uma das series que mais me cativou e surpreendeu no ano passado.

Para a segunda temporada, o elenco foi reforçado e, pelo que as imagens nos revelam, iremos ter um confronto Glenn Close - Marcia Gay Harden. Duas enormes actrizes que prometem grandes momentos de televisão.

Foi igualmente revelado o (sensacional) teaser da 2ª temporada.

E como brilha Rose Byrne... Só eu sei o quão ansioso estou para que chegue o dia 7 de Janeiro (sim, é esta a data de estreia da segunda temporada nos EUA).

posted by P.R @ 3:53 da tarde   1 comments
quarta-feira, novembro 05, 2008
Filme do mês | Outubro

Ana Silva Em Bruges

Este mês, e com a devida menção ao muito bom Mal Nascida, não posso deixar de destacar In Bruges. Genial na sua composição, realização e elenco. Colin Farrell e Brendan Gleeson é absolutamente fantástica, conseguindo arrancar-nos os sorrisos mais sarcásticos. Um filme que tem o seu grande trunfo num argumento brilhante: negro mas ao mesmo tempo "transparente" e realista.

not_alone Paris

Cédric Klapisch sabe como fazer o público sentir-se bem. A cada filme,percebemos como o senhor ama a vida. A Residência Espanhola era umaode à boa-disposição, um verdadeiro feel good movie. Paris, é mais doque um retrato de uma cidade europeia, é uma janela para a vida dequem mora ao nosso lado, para tudo o que acontece aqui tão perto, masnunca a nós, pensamos... De um assunto tão sério como uma doençaterminal, o filme fala-nos sobre a alegria dos momentos que temos deagarrar. Para que no final a vida não saiba a pouco. A ver e acabar,obrigatoriamente, com um sorriso nos lábios.

Paulo Nada a destacar

P.R. Em Bruges

Depois de Pillowman, Martin McDonagh acerta mais uma vez na mouche. Em Bruges é um filme soberbo recheado de grandes momentos de cinema. Polvilhado por um humor negro incrivelmente inteligente, é na aposta nas personagens que o filme se eleva a um patamar distinto. E Colin Farrell tem aqui o melhor papel da sua carreira. Devo, no entanto, destacar igualmente a excelente forma do cinema português com dois retratos portentosos da vida na cidade e na aldeia, com Entre os Dedos e Mal Nascida.

Duarte Burn after Reading

O regresso dos Coen à idiotice, depois do imaculado e consagrado "No Country For Old Men", quase que numa tentativa de descomprimir do desencantado negrume dessa mesma película. Não que este "Burn After Reading" não seja uma espécie de parábola desencantada do nosso mundo, embora pelo final, não estejamos muito preocupados com isso, porque na realidade, o filme não pretende fazer sentido em qualquer uma das suas variadas pontas narrativas. Basicamente, assistimos a um desfile de personagens cheias de peculiaridades cómicas, verdadeiros losers atarantados, que se embrenham numa espécie de teia de espionagem, mas sempre mais preocupados com a sua essência egocêntrica. E claro, é sempre bem filmado e bem interpretado, e é sempre bem imbecil, no bom sentido do termo. E com isso, diverte de forma bem satisfátória, à lá Coen.

P. Em Bruges

Num mês em que o humor negro esteve em grande (Burn after reading prova isso mesmo...), o meu destaque vai para in Bruges, outra peça recheada do melhor humor possível. Colin Ferrel mostra-se a um nível surpreendente, num filme muito bem orquestrado. Cada acontecimento estranho contribui para o desenrolar da história, os diálogos são excelentes, há momentos dramáticos de uma credibilidade bastante curiosa, enfim, uma excelente surpresa a todos os níveis.

Carlos Pereira A Turma

Embora Burn After Reading e Mal Nascida se assumam como acontecimentos nucleares deste ano cinematográfico, é impossível não ceder perante a importância de um filme como A Turma. Lição de humanidade, que nos faz repensar o sistema de ensino e as actuais relações escolares, o filme de Laurent Cantet é uma obra-prima. O seu poder encantatório nasce, por um lado, da transparência das complexidades que se propõe a apresentar/questionar e, por outro, de uma atitude destemida de se aproximar daqueles laços humanos.

Ursdens Nada a destacar

posted by P.R @ 4:51 da tarde   0 comments
segunda-feira, novembro 03, 2008
Grande Momento - Le Feu Follet (1963)

A loucura, ou o que a faz...
Os grandes homens, ou o que o são...
Loucos, simplesmente loucos...
Camus tinha razão..., se calhar...
Malle é genial!, Mostra-nos o contrário, e apenas isso...
É preciso evitar..., constantemente...
É preciso existir, buscar a redenção na existência...
A forma? Não interessa..., cada um sabe da sua...

posted by Ursdens @ 2:41 da tarde   1 comments
domingo, novembro 02, 2008
A Turma

Vencedor da Palma de Ouro na edição deste ano de Cannes, A Turma é dos mais fascinantes e importantes objectos cinematográficos do nosso presente. É na osmose entre ficção e documentário que o filme de Laurent Cantet nos faz deparar com um mundo de multiculturalidades e irredutibilidades. Através de uma turma de oitavo ano de um liceu francês, embarcamos numa viagem profunda ao sistema de ensino contemporâneo - que é, aqui, colocado em causa. Cantet mostra-nos a complexidade das relações escolares - entre professores e alunos - de forma intimamente cristalina, sem dispositivos mecânicos. Como repensar a reformulação dos conhecimentos que nos é diariamente proposta, oposta ao pensamento individual e consequente consciência do mundo? A Turma não nos dá respostas, mas abre o debate. E é ao não se aquietar em nenhuma certeza que esta obra-prima se apresenta como intensa lição humana.

posted by Carlos Pereira @ 7:37 da tarde   1 comments
 

takeabreak.mail@gmail.com
Previous Post
Archives
Cinema
>> Críticas
>> Filme do mês
>> Grandes Momentos
>> 10 Filmes de Sempre
>> Balanços
"Combates"
Críticas Externas
Música
>> Concertos
>> Discos
>> Sugestão Musical
>> Video da Semana
>> Outros
Teatro
TV
Literatura
Outros
Links
Affiliates