sexta-feira, setembro 28, 2007
No Reservations

No Reservations poderia ter sido um pequeno filme bastante aceitável ou não fosse o seu realizador Scott Hicks o mesmo do bastante bom Shine – Simplesmente Genial ou do muito curioso Snow Falling on Cedars. No Reservations poderia ter sido um seguro passo seguinte mas, infelizmente, não é.
O filme centra-se na figura de uma chef, interpretada por Catherine Zeta-Jones. Perfeccionista e intransigente, ela é respeitada pelo seu trabalho mas tem uma vida pessoal bastante vazia (simbolizada pelo já típico “you have no messages” no atendedor de chamadas). A existência dela vai ser abalada por dois acontecimentos: a morte da irmã e consequente vinda da sobrinha para sua casa e a chegada de um sous chef extrovertido que nutre por ela uma exacerbada admiração e que, obviamente, se vai apaixonar por ela.
Já todos vimos estes pequenos dramas muitas vezes, nada há de particularmente novo e o facto se desenrolar em torno de um restaurante ainda o prejudica pelo timing, pois num ano em que tivemos nas salas Ratatouille a conversa culinária ficou mais que arrumada.
É verdade que Zeta-Jones não é uma presença desagradável e que Aaron Eckhart, mesmo com uma ridícula indumentária de trabalho, é peculiarmente charmoso. É verdade que reencontramos aqui Abigail Breslin, a menina de Little Miss Sunshine que continua luminosa. Mas também é verdade que uma realização certinha, prestações calorosas (conquanto medianas) e a bonita música (exageradamente utilizada) de Philip Glass não salvam um filme cujo argumento é fatalmente banal.

posted by H. @ 7:21 da tarde   1 comments
Antestreia do filme The Inner Life of Martin Frost
Deixo aqui o cartaz informativo da sessão, recebido através de um mail dos cinemas Medeia:




Informação adicional: quem quiser levantar o bilhete com o Medeia Card poderá fazê-lo, mas só no próprio dia (no qual, provavelmente, o stock disponível será pouco ou nenhum).

posted by H. @ 6:55 da tarde   0 comments
quinta-feira, setembro 27, 2007
Grande Momento | Michael Bubble | Everything

Esta semana destaco Michael Bubble. A voz. Considerado por muitos o «Frank Sinatra» da nova geração. A música é tudo, o som é suave e sedutor. Apesar de parecer só mais uma canção romântica, a mensagem faz-nos pensar naquilo por que sonhamos, no que queremos. E porque esta semana tem sido a de todas as sensações, todos os momentos e todas as pessoas, deixo-vos a esplêndida «Everything».

posted by Ana Silva @ 10:02 da manhã   4 comments
domingo, setembro 23, 2007
Sopranos


Amanhã recomeça na RTP2 a gloriosa saga televisiva, produzida pela "HBO", de seu nome - "The Sopranos". E para quem já acompanha a série há uns bons anos, é uma notícia exultante. É visionamento de qualidade incomparável, onde o melodrama familiar se remistura no violento mundo da Mafia de New Jersey, onde personagens, e respectivos corpos, tanto aparecem como desaparecem e onde Tony, omnipresente, dita a sua lei em estilo intempestivo. E posso já confirmar que os últimos capítulos deste epopeia sangrenta são de chorar por mais.
posted by The Stranger @ 5:33 da tarde   3 comments
sábado, setembro 22, 2007
Trailer | Southland Tales
Finalmente, e depois de uma péssima recepção no Festival de Cannes do ano passado, Richard Kelly re-editou o seu segundo filme (depois do magnífico Donnie Darko), melhorou os efeitos especiais e está finalmente preparado para dar a conhecer ao mundo Southland Tales. Aqui fica um primeiro cheirinho...

posted by Juom @ 12:12 da manhã   1 comments
segunda-feira, setembro 17, 2007
Grandes Momentos | Casablanca

Uma das cenas de antologia do cinema mundial. Um filme inesquecível, com dois protagonistas arrebatadores e uma canção emblemática: "as time goes by". Um grande momento marcante.

posted by P.R @ 10:43 da manhã   10 comments
sábado, setembro 15, 2007
Seu Jorge volta a Portugal

O cantor brasileiro regressa a Portugal para um concerto no Coliseu de Lisboa, dia 12 de Novembro pelas 21 horas. Os bilhetes têm o preço único de 30 euros e já se encontram à venda.
posted by H. @ 7:21 da tarde   4 comments
sexta-feira, setembro 14, 2007
Eastern Promises

Pois é. Cronenberg está de regresso. E depois da genialidade de "A History of Violence", o que esperar deste "Eastern Promises", a estrear em breve nos States ? A meu ver...tudo. E embora ache o trailer algo convencional, tenho a absoluta certeza que este thriller, situado em Londres, sobre o submundo, sujo e negro, da máfia de leste, vai ser diabolicamente delicioso. Viggo Mortensen, mais uma vez protagonista principal, e intensamente tatuado, já disse para esperarmos corpos destroçados e violência q.b. , ou não fosse essa a principal imagem de marca do cinema do mestre canadiano, conhecido pela visceralidade e contundência visual do seu cinema. Basicamente, um filme sobre promessas, que muito promete.
posted by The Stranger @ 11:08 da manhã   3 comments
quinta-feira, setembro 13, 2007
Novidades de Hollywood
Jon Stewart apresenta Oscares



Estando a 80º cerimónia dos Oscars agendada para 24 de Fevereiro, a Academia já revelou o nome do apresentador: Jon Stewart. Stewart apresenta o "The Daily Show", um dos programas de mais sucesso nos EUA e irá repetir a proeza depois de ter apresentado (em grande forma, diga-se) a cerimónia em 2005. Nas palavras do mesmo: "«Estou emocionado pelo convite para apresentar os Óscares pela segunda vez porque, como dizem, é à terceira vez que se acerta".


Norton e Pitt de novo no grande ecrãn

Depois de Fight Club dois dos melhores actores da sua geração voltam-se a encontrar. Sendo realizado por Kevin MacDonald (o mesmo de O Ultimo Rei da Escócia), o filme será uma adaptação da série britânica "State of Play".

Norton será um deputado bem sucedido que começa a ser investigado pela polícia depois da morte da sua amante. Quanto a Brad, este desempenhará um papel de ex-político que trabalhar como jornalista. A relação entre os dois fica comprometida quando o seu jornal começa a investigar o misterioso assassínio.


Anthony Hopkins vive Alfred Hitchcook




Desconhecendo-se ainda dados da produção e o próprio argumento, está já confirmado que Anthony Hopkins irá interpretar Alfred Hitchcook em «Alfred Hitchcock and the Making of Psycho» (o título dá já algumas pistas sobre a história...).

Como co-protagonista teremos a não menos brilhante Helen Mirren que fará o papel de Alma Reville, a mulher e colaboradora do cineasta.


Sean Penn no novo filme de Gus Van Sant


Ainda sem nome, o novo filme de Gus Van Sant já tem protagonistas : Sean Penn e Matt Damon. Sean será Harvey Milk, o politico homossexual de São Francisco na década de 70 e Matt será Dan White, o assassino de Milk, que era supervisor na Câmara e que foi condenado a sete anos de prisão. Sem data de estreia, o filme começará a ser rodado em Dezembro.
posted by P.R @ 10:58 da manhã   4 comments
quarta-feira, setembro 12, 2007
Hairspray



A adaptação musical do filme homónimo de John Waters de 1988 tinha tudo para ser um dos mais divertidos de 2007, mas acaba sofrendo por, de certa forma, se tornar vítima dos próprios excessos. É certo que Hairspray se trata precisamente de um filme de excessos, mas o sucesso deste tipo de obras reside precisamente na forma como se consegue controlá-los. Desde o início, com “Goodmorning Baltimore”, que cada número musical me parecia um pouco longo demais, tentando espremer as suas qualidades até ao tutano. Um pouco de contenção só beneficiaria a obra de Adam Shankman que, apesar de tudo, surge munida de outras virtudes, como um muito ácido sentido de humor (atacando todos os quadrantes das orgulhosas tradições americanas), e um enorme à vontade na explanação do seu sentido mais kitsch, reforçado pela localização da história em plenos anos 60. É inegável que estamos perante um dos feel good movies deste final de Verão, e que a sua descontracção consegue a espaços ser altamente viciante (na matiné a que assisti, uma série de miúdos não resistiu à sedução da cena final e foram todos dançar para junto da tela), mas continuo a pensar que, com uns minutos a menos e um nadinha de contenção a mais, o resultado final teria sido bem melhor. Para concluir, há algo de delirantemente cómico na simples ideia de um dança entre John Travolta e Christopher Walken como... marido e mulher, e é sempre de saudar o regresso de Michelle Pfeiffer, mesmo quando dá vida a uma autêntica e refinada bitch.

posted by Juom @ 12:40 da tarde   4 comments
segunda-feira, setembro 10, 2007
Hairspray (Soundtrack to the Motion Picture)

And if you try to hold me down
I'm gonna spit in your eye and say
That you cant stop the beat


Chegou quinta-feira às salas portuguesas «Hairspray», filme inspirado num filme de 1988 realizado por John Waters e que entretanto dera origem a um espectáculo de teatro musical.
Como filme musical que se preze, «Hairspray» vive bastante (mas não só) das suas canções. São as canções do filme, bem como alguns temas extras, que compõem esta banda sonora, desde já candidata a uma das mais viciantes do ano, mas atenção: só para os apreciadores do musical à «Grease». Não há por aqui nenhum “Summer Nights” é verdade, mas quem pode dizer que não a um “The Nicest Kids in Town”?
Os temas são praticamente todos interpretados pelos membros do cast do filme, e se alguns já tinham experiência mais firmada no canto, como Queen Latifah, é sempre bom reencontrar John Travolta nas deixas de um filme assim (embora cante pouco) ou, porque não, apreciar sem preconceitos a graça adolescente de um Zac Efron (o rapazinho de «High School Musical») em “Ladies Choice”. Embora Michelle Pfeiffer seja hilariantemente charmosa em “(The Legend of) Miss Baltimore Crabs” e a aura girl-group que passa por “The New Girl in Town” seja bem gira, a grande voz desta banda sonora é o jovem Elijah Kelley e o seu Ray-Charliesco “Run and Tell That” (ou então sou eu que ainda tenho os ouvidos na interpretação de Ray em “The Blues Brothers!).
Os temas mais animados e a puxar à dança resultam sempre melhor que as baladas e derivados, mas aqui encontra-se o repertório completo do filme. Podia terminar com a contagiante “You Can’t Stop the Beat”, já que as faixas que vêm depois pouco acrescentam, nomeadamente a desnecessária “Cooties”. Mas quem gostou até aí vai ter dificuldades em não carregar no repeat quando o disco chegar ao fim.

posted by H. @ 10:30 da tarde   0 comments
domingo, setembro 09, 2007
Grandes Momentos | In The Mood For Love

De todos os filmes que vi do senhor Wong Kar-Wai – todos deslumbrantes – talvez nenhum alcance a totalidade intocável de “In the Mood for Love”. A história é tão simples quanto a descoberta do amor entre um homem e uma mulher que percebem que os seus cônjuges têm um caso juntos. Mas o seu amor é contrariado pelos próprios, que não querem ser como eles. Podemos resumir este filme por estas linhas gerais? Claro que não. Porque o filme é construído pelos pormenores, pelas atmosferas, pelos silêncios musicais, os planos fascinados com as pessoas e os espaços, as sequências em câmara lenta, a fotografia que nos prova inequivocamente que foi para se fazerem coisas como estas que o cinema passou a ser a cores.
Maggie Cheung e Tony Leung aparecem-nos como o par mais elegante do cinema (basta atentar nesta sequência das escadas que escolhi para acompanhar o post) e a sua história de amor como uma das mais tristemente belas de sempre. Um filme para ver e rever e rever e amar com os olhos e com o coração.

posted by H. @ 7:39 da tarde   6 comments
quinta-feira, setembro 06, 2007
Filme do mês | Agosto
Aqui vão, como habitualmente, as escolhas do mês que passou.




Ana Silva Ratatouille

"Este mês, típico de férias e ausências, deixou muito pouco tempo para o lazer. Apesar de ser ter sido o único, o filme "Ratatui" merece o meu destaque. Sem ter quaisquer expectativas, o pequeno "Remy" enche as medidas a qualquer um, seja pelo seu narizinho rosado ou pelo seu talento desmesurado para a cozinha. O filme faz crescer água na boca com as iguarias culinárias, e delicia-nos ao mesmo tempo com as travessuras e sentido de humor deste ratinho de pêlo fofo Ideal para uma bela tarde de domingo"

H. Mysterious Skin

"Apesar de ser um filme de 2004, Mysterious Skin só chegou às salas portuguesas este Agosto. Retrato doloroso de duas vivências distintas de uma mesma experiência, o filme de Gregg Araki percorre caminhos inquietantes de relações humanas com uma coragem e uma sensibilidade que o tornam uma obra de visionamento tão desconfortável como puro. Além do trabalho do autor, há que referir a interpretação transcendente de Joseph Gordon-Levitt, espantoso."

not_alone The Host

"A criatura não é um filme de terror, não é uma comédia, não é um drama familiar, não é ficção científica. Não é bem um filme, sequer. É uma experiência. Que consegue englobar todos os géneros atrás mencionados. Garantidamente diferente de tudo o que já viram no cinema, não é um filme para ser levado a sério. Também existem filmes de puro entretenimento que atingem o nível de uma obra-prima e The Host é um excelente exercício de descontracção, com uma grande dose de qualidade artística e técnica. "

Paulo Ratatouille

"Quando o Verão cinematográfico anda a desiludir, nada como recorrer a nomes de confiança: e depois de nos mês passado ter sido Tarantino a oferecer-nos entretenimento de grande qualidade, agora foi a vez da Pixar que, mais uma vez, voltou a mostrar que não conhece o significado da palavra "falhanço". Ratatouille é não só um portento de animação, como também uma excelente história, capaz de divertir e comover adultos e crianças e, como não podia deixar de ser, o seu visionamento é obrigatório. "

P.R. Ratatouille

"Eis a receita para um belo filme: uma grande dose de talento, servida por um argumento extraordinário, acompanhada por uma narrativa fantástica e polvilhada por um humanismo incrivel num filme de animação. Estes são os ingredientes que colocam Ratatouille na galeria dos melhores filmes do ano"

Duarte Bug

"Num mês veraneante de escassa criatividade, e até de algum, já habitual,dumping cinéfilo, destaco um filme que pode muito bem ter passado ao lado demuita gente, e é um regresso à boa forma de um realizador algoesquecido...William Friedkin. Esse filme é "Bug" e trata-se de uma espéciede alucinação esquizofrénica, que consegue inquietar o espectador semrecorrer a grandes meios pirotécnicos, focando-se apenas na visceralidade damente humana e na evocação dos seus mais sórdidos e angustiantes fantasmas."

posted by P.R @ 11:15 da manhã   4 comments
terça-feira, setembro 04, 2007
20 minutos de There Will Be Blood

Os (poucos) críticos e cinéfilos que preferiram o Festival de Telluride em Colorado ao Festival de Veneza, por exemplo, tiveram a oportunidade de assistir a 20 minutos do novo filme de Paul Thomas Anderson.
Quem viu diz que se trata, como o trailer já revelava, de um filme diferente das obras anteriores do realizador do Magnolia, sublinhando-se o rigor das imagens e as trajectorias das personagens, que são mais individuais. No entanto, quem impressionou foi o actor principal Daniel Lay Lewis que compôs uma personagem referida, por um dos presentes, como " ao mesmo tempo fascinante e repugnante, sedutor e odioso".
There Will be Blood estreia dia 26 de dezembro nos EUA e é, para mim, um dos filmes mais esperados deste ano.
posted by P.R @ 4:01 da tarde   2 comments
domingo, setembro 02, 2007
Grandes Momentos | The Big Lebowski


Porque as respectivas imagens, a respectiva música e a respectiva personagem não conseguem ser descritas por palavras...aqui vai...Jesús Quintana...provavelmente um dos mais gloriosamente estúpidos momentos de cinema jamais feitos. Enjoy!
posted by The Stranger @ 8:51 da tarde   5 comments
 

takeabreak.mail@gmail.com
Previous Post
Archives
Cinema
>> Críticas
>> Filme do mês
>> Grandes Momentos
>> 10 Filmes de Sempre
>> Balanços
"Combates"
Críticas Externas
Música
>> Concertos
>> Discos
>> Sugestão Musical
>> Video da Semana
>> Outros
Teatro
TV
Literatura
Outros
Links
Affiliates