quarta-feira, abril 12, 2006
West Side Story


West Side Story é um marco do cinema de Hollywood. Vencedor de onze Óscars da Academia, incluindo melhor filme e melhor realizador, este musical é um dos mais conhecidos de sempre e é tido como um dos melhores. Sendo, para a altura, uma versão moderna do drama Romeu e Julieta, o filme é quase na sua totalidade dançado e cantado e conquistou uma verdadeira legião de fãs em todo o mundo. Mais de quarenta anos depois, é com alguma incredulidade que vejo o quão sobrevalorizado é este filme.

O conceito que sustenta todo o filme, o facto de ser uma versão moderna da mais conhecida tragédia de Shakespeare, até poderia ter dado bons frutos. No entanto, o seu desenvolvimento origina uma obra azeda e inconsequente que de obra-prima tem muito, muito pouco. As coreografias são de facto muito boas mas, na minha opinião, elas devem servir de suporte para o filme, não o contrário. Os primeiros quinze minutos são belos na forma, na forma sincronizada como todos os actores dançam, mas vazio no seu conteúdo. A ideia está lá, mostrar os dois grupos rivais do bairro, mas é, na minha opinião, muito mal conseguida. Isto é, West Side Story é um filme musical, é certo, mas não um espectáculo de bailado pois, para isso, veríamos um espectáculo do género.

Por outro lado, os actores principais, principalmente Richard Beymer, são vazios em expressividade e não conseguem estar à altura das próprias pretensões do filme (neste ponto, estou de acordo com a Academia porque em 12 nomeações que o filme tem, os actores principais foram excluídos). Sendo muito bem suportados pelos restantes actores, em especial Rita Moreno (que recebeu o respectivo Óscar), a verdade é que a sua função resume-se a cantar e dançar, e eles fazem-no sem arrebatar. A acrescentar a isto, os cenários do filme são paupérrimos. De facto, aquando da visualização do filme, tudo me parecia demasiado teatralizado, a começar, lá está, pelos cenários que me pareceram, obviamente, serem uns autênticos palcos, o que revela um descuido enorme em termos de reconstituição da época em questão.

West Side Story foi assim uma verdadeira decepção, principalmente porque o género musical é um dos meus preferidos. Exceptuando a excelente banda-sonora, a verdade é que tudo o resto é muito mau. Para aqueles que dizem que Crash foi o pior filme a vencer um Óscar, aconselho vivamente o visionamento deste filme, pois certamente ficarão mais conformados.

Classificação:
posted by P.R @ 8:26 da tarde  
4 Comments:
  • At 4:01 da tarde, Blogger miguel said…

    11 nomeações, 10 vitórias.;)

     
  • At 8:29 da tarde, Blogger P.R said…

    sim, tens razão.. foram dez vitórias mas, tirando o da rita moreno, parecem claramente excessivas. mas pronto, opiniões ;)

     
  • At 8:46 da tarde, Blogger H. said…

    é um daqueles clássicos que de certa forma são controversos... não és a 1ª pessoa que oiço criticar tão terminantemente West Side Story e sobretudo os actores principais...
    eu gostei, apesar de ñ estar no meu top de musicais (um género q tb gosto imenso). o facto de ser demasiado teatral e demasiado invulgar, a nível da cor por exemplo, torna-o talvez mais frio do que provavelmente se prentenderia. ainda assim tem números únicos, como o excelente "America" , p/ mim o melhor do filme...

     
  • At 9:18 da tarde, Blogger Francisco Mendes said…

    E nessa cerimónia, "La Dolce Vita" de Federico Fellini nem sequer teve nomeação para melhor filme... enfim...

    Neste filme coloco-me ao teu lado: os 10 galardões apenas sublinham a tremenda sobrevalorização de uma obra pouco inspirada.

    Abraço Pedro.

     
Enviar um comentário
<< Home
 
 

takeabreak.mail@gmail.com
Previous Post
Archives
Cinema
>> Críticas
>> Filme do mês
>> Grandes Momentos
>> 10 Filmes de Sempre
>> Balanços
"Combates"
Críticas Externas
Música
>> Concertos
>> Discos
>> Sugestão Musical
>> Video da Semana
>> Outros
Teatro
TV
Literatura
Outros
Links
Affiliates