segunda-feira, janeiro 29, 2007
Grandes Momentos | Vivre Sa Vie

Há um momento em Vivre Sa Vie (e Vivre Sa Vie é um filme de muitos momentos) que é capaz de marcar profundamente uma experiência de vida cinéfila. É o momento em que Nana, a inigualável musa de Godard Anna Karina (ele teve mais, musas e mulheres, mas para mim será sempre Anna Karina), entra numa sala de cinema e assiste à Joana D’Arc de Carl Th. Dreyer. Ela vê a condenação à morte de Joana, e aquele instante é como que um anúncio do mal que a espera a ela. Ela chora, nesse plano cuja beleza nos esmaga. Certo que alguns de nós chorarão também. É demasiado forte, é demasiado belo, que se torna assombroso constatar o poder do cinema.

Para os que quiserem descobrir ou redescobrir Vivre Sa Vie, o filme será exibido na Gulbenkian, no ciclo “Como o Cinema Era Belo…”, dia 11 de Fevereiro às 18:30.
posted by H. @ 6:39 da tarde   5 comments
sábado, janeiro 27, 2007
Vídeo da Semana | Tori Amos | Silent All These Years


… Sometimes
I hear my voice
And it's been here…
…Silent all these years.

Porque muitas vezes as vozes das canções são as vozes que silenciamos em nós.
posted by H. @ 2:11 da tarde   0 comments
sexta-feira, janeiro 26, 2007
Micah P. Hinson | Santiago Alquimista | 24-01-2007


O texano Micah P. Hinson, a quem já chamaram “o trovador maldito do indie norte-americano”, foi uma descoberta que fiz recentemente, apesar do senhor de 25 anos (sim, “senhor”, basta ouvir a sua voz para o chamar “senhor”, embora a presença seja bastante jovial) já ter editado um EP (The Baby and The Satellite, de 2005) e dois álbuns (o magnífico e aclamadíssimo Micah P. Hinson and the Gospel of Progress, de 2005 e o não menos apaixonante Micah P. Hinson and the Opera Circuit, de 2006). Há uns dias, pudemos vê-lo pela primeira vez a tocar na capital.

Na passada quarta-feira, no Santiago Alquimista em Lisboa, a primeira parte da noite ficou a cargo de Will Johnson, que apenas acompanhado da sua guitarra cantou e tocou as suas canções com uma presença reservada, oscilando entre o intimista e o um pouco distante.
Depois veio então Micah, mais à vontade, fumando cigarros e cigarros que ía colocando na guitarra enquanto tocava e conversando constantemente ora com o público ora com Nick Phelps, o músico que o acompanhou tocando alguns instrumentos (ainda não há verba para trazer toda a banda à Europa, explicou ele).
Começou por cantar um tema para Sylvia, a actual namorada, a mesma a quem ele dedicou o concerto numa postura de amante atencioso, algo um pouco irónico se tivermos em conta que os seu primeiro e mais genial álbum nasceu da ressaca de um “heartbreak” de uma modelo que o deixou e o levou às drogas e outros dissabores que culminaram atrás das grades.

No concerto percorreu várias canções dos seus discos como “Close Your Eyes”, “Beneath the Rose”, “Seems Almost Impossible”, “Drift Off to Sleep”, “Diggin’ a Grave”, “You’re Only Lonely, ”sempre unidas por dois dedos de conversa com a plateia, com Micah contando histórias da sua vida e da sua experiência enquanto artista, deixas divertidas com a sua breve incursão numa casa de striptease ou o número de pessoas que assistiram ao seu concerto em S. Francisco (“ten?!”). Mencionou uma documentarista italiana que está a filmar “a sua vida” (“it’s interesting because I don’t know what’s so interesting about my life…”) e a quem dedicou “Don’t Leave Me Now”, belíssima canção, exemplo brilhante da sua música pessoalíssima.
Ainda voltou para um encore, já que nós (nós público) tínhamos pago para o ouvir, onde cantou “On My Way" ("Patience”) – essa música que alguém me disse ser a catarse perfeita – que terminou numa explosão musical (eu diria mesmo sensorial), com Micah à sua guitarra e Phelps na bateria (em momentos anteriores, fora Johnson que voltou para breves incursões na bateria), num dos momentos mais poderosos de um concerto todo ele fortíssimo na sua qualidade mas também na sua naturalidade (o espaço do Alquimista com o palco baixo permite uma certa proximidade com os artistas).
O final veio com “Old Guitar”, uma cover para o pai, com quem a relação é difícil, “because he’s na asshole and I’m na asshole too”, mas que foi introduzida com uma divertida explicação do nome do pai. Humor e densidade – nele e na sua música.

Fica a memória de um concerto muito belo e sentido em pleno. No dia seguinte foi a vez do Theatro Circo em Braga receber a voz grave do senhor Micah. Esperemos que tenha corrido tão bem como em Lisboa.
posted by H. @ 2:52 da tarde   1 comments
quinta-feira, janeiro 25, 2007
Flags of our fathers


Numa altura em que tanto se fala de Oscars, é quase impossível não falar da decepção que foi esta primeira incursão de Clint Eastwood na guerra que pôs frente a frente americanos e japoneses. E a verdade é desta vez a crítica americana tem razão.

De Flags of our fathers esperava-se um grande filme. Realizado por Eastwood, produzido por Spielberg, co-escrito por Haggis e abraçando uma das situações mais importantes da (curta) história dos Estados Unidos, tudo fazia prever mais uma grande obra. Mas, a verdade, é que o filme de Eastwood falha num dos pontos que distinguiu a sua recente filmografia, ou seja, a humanização e a profundidade dramática das personagens. Conclui-se que este (grande) realizador está mais talhado para produções pequenas em orçamento mas enorme nas emoções que transmite, do que para obras com orçamentos gigantescos e com tanto para contar que acaba por se tornar um objecto arrastado e quase autista.

Porém, e sendo realizado por uma figura que respira cinema, Flags of your fathers tem momentos de antologia. Filmado de forma irrepreensível, esta obra tem cenas brilhantes que, de certo, marcarão o ano de 2006. Bem interpretado, destacando-se, na minha opinião Adam Beach (que, curiosamente, acaba por ter a melhor personagem para trabalhar) e perfeito em termos técnicos o filme ressente-se porém da não linearidade temporal que nem sempre é bem conseguida e que, definitivamente, não ajuda na nossa aproximação às personagens e às suas histórias.

Esperemos assim por Letters from Iwo Jima, a versão japonesa do confronto que, segundo a grande maioria, é bem superior a este (já bom) Flags of our fathers.

Classificação:

posted by P.R @ 10:31 da tarde   2 comments
terça-feira, janeiro 23, 2007
Ainda os melhores do ano | CDs
As escolhas de not_alone


1. Linda Martini | Olhos de Mongól

2. Ed Harcourt | The Beautiful Lie
3. Clap Your Hands Say Yeah | Clap Your Hands Say Yeah
4. Tiger Lou | The Loyal
5. Lilly Allen | Alright, Still
6. Balla | A Grande Mentira
7. Thom Yorke | The Eraser
8. Sérgio Godinho | Ligação Directa
9. JP Simões | 1970
10. Cansei de Ser Sexy | Cansei de Ser Sexy

As escolhas de H.


1. The Strokes | First Impressions Of Earth

2. Isobel Campbell & Mark Lanegan | Ballad Of The Broken Seas
3. The Legendary Tiger Man | Masquerade
4. Artic Monkeys | Whatever People Say I Am That’s What I’m Not
5. Clap Your Hands Say Yeah | Clap Your Hands Say Yeah
6. Bob Dylan | Modern Times
7. Micah P. Hinson | Micah P. Hinson & The Opera Circuit
8. The Concretes | In Colour
9. Aimee Mann | One More Drifter In The Snow
10. Cansei de Ser Sexy | Cansei de Ser Sexy
posted by not_alone @ 6:20 da tarde   3 comments
Oscars | Nomeados
E pronto, cá estão os nomeados para os Oscars de 2007. Como sempre a Academia presentou-nos com algumas surpresas sendo que, para mim, o maior choque é a ausência de Volver em Melhor Filme Estrangeiro, de Jack Nicholson em Melhor Actor Secundário e de Leonardo diCaprio ter sido nomeado por Blood Diamond em vez de por The departed. De salientar também o facto de Dreamgirls, que muitos apontavam com um possível vencedor do Oscar nem sequer ter sido nomeado.Apresentando com um * aqueles que tinha previsto serem nomeados e com ª aqueles que eram as alternativas, aqui ficam então os nomeados:

Melhor Filme

The departed*
Babel*
lThe Queen*
Little Miss Sunshine*
Letters of Iwo Jima ª

Melhor Realizador

Martin Scorsese - The departed*
Alejandro Iñarritu - Babel*
Stephen Frears - The Queen*
Paul Greengrass - United 93*
Clint Eastwood - Letters of Iwo Jima*

Melhor Actor

Forest Whitaker - Last King of Scotland*
Peter O'Toole - Venus*
Will Smith - The Pursuit of Happyness*
Leonardo di Caprio - Blood Diamond
Ryan Gosling - Half Nelson*

Melhor Actriz

Helen Mirren - The Queen*
Meryl Streep - The devil wears Prada*
Judi Dench - Notes on a scandal*
Penelope Cruz - Volver*
Kate Winslet - Little Children*

Melhor Actor Secundário

Eddie Murphy - Dreamgirls*
Jackie Earle Haley - Little Children*
Alan Arkin - Little Miss Sunshine*
Djimoun Hounsou - Blood diamond*
Mark Wahlberg - The departed ª

Melhor Actriz Secundária
Jennifer Hudson - Dreamgirls*
Cate Blanchett - Notes on a Scandal*
Rinko Kikuchi - Babel*
Abigail Breslin - Little Miss Sunshine*
Adriana Barazza - Babel*

Melhor Argumento Original

Little Miss Sunshine*
Babel*
The Queen*
Pan's Labyrinth*
Letters of Iwo Jima

Melhor Argumento Adaptado
The departed*
Little Children*
Notes on a Scandal*
Children of Menª
Borat

O resto dos nomeados podem ver aqui.

Apresentados os nomeados, e fazendo um balanço com as minha previsões, penso que o balanço é muito positivo! Ah! E estou muito contente por Little Miss Sunshine e por Abigail Breslin!
posted by P.R @ 2:25 da tarde   0 comments
segunda-feira, janeiro 22, 2007
Oscars| Previsão dos nomeados
Confesso que sempre gostei dos Oscars e que continuo a gostar, apesar das limitações que lhe são reconhecidas enquanto prémios de cinema. No entanto, este ano segui com especial interesse os varios nomeados e galardoados em todos os prémios de Hollywood. Como tal, e na véspera de se conhecerem os nomeados aos Oscars não resisto à tentação de apresentar aqueles que, para mim, serão os indicados nas categorias principais. Em todas elas apresentarei também um 6º elemento, ou seja a alternativa. Vamos lá ver como me sairei. O mais certo é errar a maioria mas amanhã cá estarei para apresentar os nomeados e concluir a qualidade das minhas previsões. E, já sabem, estão à vontade para comentar.

Melhor Filme

The departed
Babel
The Queen
Dreamgirls
Little Miss Sunshine

Alternativa: Letters of Iwo Jima


Melhor Realizador

Martin Scorsese - The departed
Alejandro Iñarritu - Babel
Stephen Frears - The Queen
Paul Greengrass - United 93
Clint Eastwood - Letters of Iwo Jima

Alternativa: Bill Condon - Dreamgirls

Melhor Actor

Forest Whitaker - Last King of Scotland
Peter O'Toole - Venus
Will Smith - The Pursuit of Happyness
Leonardo di Caprio - The departed
Ryan Gosling - Half Nelson

Alternativa: Sacha Boran Cohen - Borat

Melhor Actriz

Helen Mirren - The Queen
Meryl Streep - The devil wears Prada
Judi Dench - Notes on a scandal
Penelope Cruz - Volver
Kate Winslet - Little Children

Alternativa: Maggie Gyllenhaal - Sherrybaby

Melhor Actor Secundário

Eddie Murphy - Dreamgirls
Jack Nicholson - The departed
Jackie Earle Haley - Little Children
Alan Arkin - Little Miss Sunshine
Djimoun Hounsou - Blood diamond

Alternativa: Mark Wahlberg - The departed

Melhor Actriz Secundária

Jennifer Hudson - Dreamgirls
Cate Blanchett - Notes on a Scandal
Rinko Kikuchi - Babel
Abigail Breslin - Little Miss Sunshine
Adriana Barazza - Babel

Alternativa: Emily Blunt - The devil wears Prada

Melhor Argumento Original

Little Miss Sunshine
Babel
The Queen
Pan's Labyrinth
United 93

Alternativa: Volver

Melhor Argumento Adaptado

The departed
Little Children
The devil wears Prada
Notes on a Scandal
Thank you for Smoking
Alternativa: Children of Men
E pronto são estas as minhas apostas. Amanhã, quando forem conhecidos os verdadeiros eleitos, veremos como me saí.
posted by P.R @ 9:08 da tarde   0 comments
sábado, janeiro 20, 2007
Vídeo da Semana | Joy Division | Disorder


Música: Disorder - Joy Division
Imagens: 2001 - A Space Odissey
posted by not_alone @ 2:07 da tarde   3 comments
terça-feira, janeiro 16, 2007
Grandes Momentos | Before Sunrise

Os grandes momentos estão repletos de uma magia especial. "Before Sunrise" é feito desses momentos, de uma magia real, que todos nós esperamos encontrar um dia, logo, ao virar da esquina. São momentos que demonstram a simplicidade de uma conversa ou a espontaneidade de um gesto, realçando, quase sem esforço, a sua magia. Este é um filme cheio de grandes momentos que provocam em mim uma espécie de 'sede', que me fazem sentir um fascínio pelo desconhecido, por aquela pessoa que não conheço mas desejo, por toda a descoberta que proporciona. Quem diz pessoa, diz lugar, diz momento.

Para mim, magia está sempre presente, seja no som frágil de um cravo ou no texto de um poema. Sente-se no verdadeiro sentido que as coisas tomam, ou tão simplesmente na forma como Viena ganha vida e se torna, nestes momentos, o nosso próprio mundo.
posted by Ana Silva @ 8:47 da tarde   2 comments
segunda-feira, janeiro 15, 2007
Melhores do Ano V
Melhor Filme

10 Primer



10 Breakfast on Pluto



10 Capote



9 Marie Antoinette



8 Munich



7 The New World



6 A History of Violence



5 Match Point



4 The departed



3 Babel



2 Brokeback Mountain



1 The Proposition





"Diferente do "filme-tipo" e de todos os convencionalismos ligados ao cinema norte-americano, a escolha do filme do ano é, mais do que uma escolha, uma aposta na diferença. The Proposition é um western desconstruído, que aborda a violência e o amor com a mesma intensidade. É uma canção de catarse, não tivesse o argumento sido escrito por Nick Cave. É a certeza de que um bom filme nos preenche por tratar os assuntos de uma forma crua e dura. Sem rodeios" not_alone



posted by P.R @ 2:12 da tarde   3 comments
domingo, janeiro 14, 2007
Melhores do Ano IV
Melhor Realizador



"Um dos maiores realizadores vivos, de regresso a um mundo que conhece particularmente bem (o do crime organizado, o da vivência das ruas) num ano em que, tal como Woody Allen, se manteve cinematograficamente afastado de Nova Iorque e onde conseguiu, com isso, oferecer-nos uma obra extraordinária. A câmara de Scorsese parece possuir vida própria, fazendo da violência (a física e a interior às suas personagens) um instrumento essencial às suas histórias, aos seus filmes. Com Scorsese, o cinema até parece fácil. Com Scorsese, o cinema é sempre uma forma de arte superior." Paulo Costa

1 Martin Scorsese - The departed

2 Ang Lee - Brokeback Mountain
3 Terrence Mallick - The New World
4 Woody Allen - Match Point
4 Steven Spielberg - Munich


Melhor actor



"Philip Seymour Hoffman desde há muito tempo que vinha revelando, em papéis mais pequenos, todo o seu talento. Assim, no seu primeiro papel como protagonista, este actor apenas espantou aqueles que não conheciam o seu trabalho. No entanto, esta interpretação é sem dúvida estonteante. A sua composição de Capote é meticulosa, irrepreensível e imperial. Num ano marcado por grandes interpretações masculinas sobressaiu Hoffman pela alma, vivacidade e verosimilhança que deu à personagem. Hoffman, durante 90 minutos, É Capote. E isso diz tudo." P.R

1 Philip Seymour Hoffman - Capote

2 Leornardo Di Caprio - The departed
3 Heath Ledger - Brokeback Mountain
4 Eric Bana - Munich
4 Joaquin Phoenix - Walk the line
4 Cillian Murphy - Breakfast on Pluto
4 David Strathain

Melhor Actriz




"Felicity Huffman é perfeita, consumindo toda a história de “Transamerica”, os olhares focam-se nela, na voz, no jeito, na expressão única. A mulher que dá vida ao homem que quer ser mulher revela-se extraordinariamente realista neste filme, demonstrando a angústia de não ser o que realmente se sente e a luta pela afirmação social." Ana Silva


1 Felicity Huffman - Transamerica

2 Penélope Cruz - Volver
3 Helen Mirren - The Queen
4 Kirsten Dunst - Marie Antoinette
5 Abbie Cornish - Candy



Amanhã, e para acabar o balanço do ano, serão apresentado aqueles que, para nós, foram os melhores filmes de 2006.
posted by P.R @ 1:06 da tarde   0 comments
sábado, janeiro 13, 2007
Vídeo da Semana | Bryan Adams | The only thing that looks good on me is you


Apesar de já nos ter habituado ao seu timbre, umas vezes rouco e grave, outras macio e quente, Bryan Adams surge neste vídeo com uma nova rebeldia, mais arrojado, numa fase que mudou a sua carreira musical. Quanto mais velho, melhor....
posted by Ana Silva @ 3:07 da tarde   0 comments
quinta-feira, janeiro 11, 2007
Melhores do Ano III
Melhor Argumento

"O ano de 2006 for marcados por muitos e bons argumentos. No entanto, sobressaiu-se um pela sua actualidade, pertinência e, sobretudo, imprevisibilidade, tendo em conta o percurso de quem o escreveu, Woody Allen. O argumento de match point é, sem rodeios, magnífico. Sendo possível fazer paralelismos com temáticas de grandes obras da literatura mundial, estamos presente uma narrativa onde seguimos a ânsia de um homem que, desejoso de subir na vida, renuncia a tudo, mesmo que esse tudo seja apenas e só a sua felicidade. Um belíssimo argumento, de um fantástico argumentista e realizador. " P.R

1 Match Point

2 The Proposition
3 Primer
3 Munique
3 Brick

Melhor elenco


"Mais do que um conjunto de estrelas, The Departed está recheado de boas interpretações. Desde Jack Nicholson, sempre fantástico, a um surpreendente Leonardo Dicaprio, passando por um sóbrio, mas competente, Matt Damon a intriga adensa-se na química que o elenco tem no ecrã. Acima de tudo, funcionam como um todo. A destacar particularmente: Vera Farmiga, desconhecida para a maior parte do público, que é enorme no seu modesto papel secundário; e Mark Wahlberg que se supera a cada cena, mostrando que nem sempre os protagonistas são as personagens mais complexas. " not_alone

1 The departed

2 Babel
2 Little Miss Sunshine
4 Volver
4 Brokeback Mountain

Melhor actor secundário


"Num filme com reconhecidos actores, nenhum brilha tão alto como Jack Nicholson. Irradiando segurança e estilo, Nicholson dá-nos em The Departed uma lição de boa interpretação. O seu Frank Costello é um papel secundário mas Nicholson rouba toda a atenção nas cenas em que participa. Perante tal demonstração de bem representar, ficamos como um misto de admiração e respeito. Para ele é mais um grande papel. Para as estreias em 2006 foi uma interpretação de melhor actor secundário a milhas da concorrência. Isto de um actor que de “secundário” não tem muito…" H.

1 Jack Nicholson - The departed

2 Brad Pitt - Babel
3 Jack Gylleenhall - Brokeback Mountain
4 William Hurt - A History of Violence
5 Steve Carrell - Little Miss Sunshine

Melhor actriz secundária


"Não deixa de ser sintomático que num filme onde encontramos nomes como os de Brad Pitt, Cate Blanchett ou Gael Garcia Bernal, seja a japonesa Rinko Kikuchi a destacar-se no meio deste grande mosaico que é Babel. Sem dizer uma única palavra, a actriz marcou absolutamente o ano cinematográfico com uma interpretação plena de emoção, inocência, dor e... amor. Para recordarmos que podemos encontrar no rosto humano uma infinitude de lugares e emoções que mil palavras não são capazes de expressar. Já tivemos Maria Falconetti, Anna Karina e, este ano, tivemos Rinko Kikuchi na interpretação do ano. Penso que não poderia ter expressado o meu apreço por esta interpretação genial de melhor forma." Paulo Costa

1 Rinko Kikuchi - Babel

2 Maria Bello - History of Violence
3 Mia Kirshner - The Black Dahlia
4 Hillary Swank - The Black Dahlia
5 Emily Watson - The Proposition
posted by P.R @ 11:45 da tarde   1 comments
quarta-feira, janeiro 10, 2007
Melhores do Ano II
Melhor Montagem


"Hoje em dia, é completamente inconcebível que Martin Scorsese embarque num projecto sem a companhia de Thelma Schoonmaker na sala de montagem. Entre ambos parece existir uma relação absolutamente perfeita, e se é verdade que Thelma refere inúmeras vezes que com Marty se limita a colar os geniais planos que este lhe oferece após as filmagens, o que é certo é que a genial editora tem de recolher os louros pelo seu trabalho. Juntos, Thelma e Marty fazem um filme de 2:30h fluir na sua plenitude, viajando na narrativa e na complexidade das suas personagens e dos seus actores com a segurança de quem, acima de tudo, conhece o cinema melhor do que a palma das mãos." Paulo Costa

1 The departed

2 Babel
3 New World
4 Munich
5 Happy Endings

Melhor Cena



"A cena final de History of Violence é um expoente máximo do ano de 2006 e uma autêntica celebração do que é o cinema. Sem uma única palavra, esta cena dá ao espectador mais do que muitos filmes ofereceram em largos minutos. Uma cena que, em toda a sua intesidade, é absolutamente perfeita." P.R

1 History of Violence

2 Babel - Chieko na discoteca
3 Le temps qui reste - A noite com a avó
3 Brokeback Mountain - A note na tenda
3 Marie Antoinette - Nascer do sol
3 Babel - Partida do helicóptero

Melhor diálogo



"É a chave da mensagem do filme – a chave verbal já que a visual será, mais que a imagem da bola de ténis, a do anel atirado. Provavelmente o exemplo mais representativo de um argumento inteligentíssimo e gélido de um Woody Allen genial e, este ano, surpreendente. " H.

1 Match Point - Ser bom e ter sorte

2 Brokeback Mountain - "I wish I knew how to quit you"
3 Paradise Now - discussão sobre o paraíso
3 The Black Dahlia - diálogos entre a Dália e o realizador
3 Me and you and everyone know - "I want my children to have magical powers"

Melhor Química em Cena



"Nunca se pensou amar assim, desejar assim. Louca e desesperadamente. Heath Ledger e Jake Gyllenhaal dão corpo e (principalmente) alma a uma relação que nos apaixona. A forma como se olham, tocam, como se magoam de tanto amar é única e, até agora, irrepetível no cinema." Ana Silva

1 Brokeback Mountain - Heath Ledger e Jake Gylleenhall

2 History of violence - Viggo Mortensen e Maria Bello
3 Miami Vice - Colin Ferrell e Gong Li
4 Les Amants Réguliers - Louis Gerrel e Clotilde Hesme
4 Science of Sleep - Gael Garcia Bernal e Charlotte Gainsbourg
4 Hard Candy - Ellen Page e Patrick Wilson
posted by P.R @ 11:36 da tarde   0 comments
Melhores do Ano I
Como tem sido hábito, o mês de Janeiro é marcado pela apresentação, por parte dos bloggers, dos filmes que mais se destacaram durante o ano transacto. Desta forma, o Take a Break também decidiu eleger os melhores de 2006 nas mesmas categorias do ano passado. Também como em 2005, decidimos apresentar os vários top's faseadamente, neste caso, começando hoje e prolongando-se até ao final da semana. Os resultados apresentados são resultantes de uma mini-votação dos membros do Take a Break que chegaram às conclusões que nesta semana vos apresentaremos. Assim sendo, e contando também com as vossas opiniões e top's, comecemos!

Maior Desilusão


"Mais do que uma desilusão, Drawing Restraint 9, foi uma penosa experiência de cinema. À partida esperava-se um filme experimentalista e arrojado. Björk não costuma desiludir mas desta vez falhou redondamente o objectivo. O projecto acaba por ser um ensaio demasiado absurdo para ser chamado de filme. Nem a banda sonora (criada pela cantora islandesa) está à altura dos seus outros trabalhos. É ruído, a todos os níveis." not_alone

1 Drawing Restraint 9
2 Voo 93
3 World Trade Center Instinto Fatal 2 Lady in the water



Melhor Poster


"Sem deixar as raízes da BD (que deu origem ao filme) de lado, todos os Posters de promoção de V for Vendetta são perfeitos na forma como se apresentam. Inspirados nos primeiros cartazes de propaganda, reflectem na perfeição o ambiente de opressão vivido no filme. Para além disso, têm o toque de kitsh, ou retro (como preferirem) que está tão em voga, como verificamos no nosso dia-a-dia e em outros cartazes de filmes como Sin City, Marie Antoinette ou Walk the Line. " not_alone

1 V for Vendetta

2 A History of Violence
3 Hard Candy
4 The Black Dahlia
5 Munich Capote

Melhor Guarda-Roupa


Num filme onde a componente visual é crucial, parte do deslumbre causado deve-se sem dúvida ao guarda-roupa de Milena Canonero. A extraordinária reconstituição do fausto da corte de Versailles deve-se em grande parte aos seus figurinos, de que o destaque maior vai naturalmente para os vestidos da protagonista. H.

1 Marie Antoinette

2 The New World
3 The Black Dahlia
4 Memoirs of a Gueisha
5 The Prestige

Melhor Banda Sonora

"A banda-sonora de Munich é mais um rasgo de genialidade de John Williams que neste ano de 2006 assinou ainda a fantástica partitura de Memoirs of a Gueisha. Com músicas de uma intensidade dramática impressionante, a banda-sonora de Munich funde-se com as imagens que vemos, criando ambientes poderosos, comoventes e arrebatadores. Sem dúvida a melhor do ano de 2006 e uma das melhores de sempre." P.R
1 Munich

2 Babel
3 Marie Antoinette
4 Memoirs of a Gueisha Brokeback Mountain


Melhor Fotografia

"Munique faz-nos regressar ao ano de 1972 através de uma envolvente muito realista, conseguida através de uma excelente fotografia. A imagem do filme é brilhante, neutralizando tons, conseguindo destacar as expressões mais rígidas e profundas ao mesmo tempo que assinala as sombras e a névoa que se abate na narrativa. " Ana Silva

1 Munich
2 Jarhead
3 Babel
4 Les Amants Réguliers Children of Men The Black Dahlia

posted by P.R @ 3:41 da tarde   0 comments
terça-feira, janeiro 09, 2007
Grandes Momentos | Eternal Sunshine of the Spotless Mind
Por todas as vezes que deixámos o amor para trás. Mesmo quando tudo o que queríamos era ficar e lutar por ele. Por todas as despedidas que ficaram por ser ditas. Por todos os arrependimentos e decisões mal tomadas. Por amar, mais do que a vida. E morrer. E continuar a acreditar que vale a pena lutar.

Eternal Sunshine of The Spotless Mind é uma das mais belas e originais histórias de amor. Perdido nos confins do seu ser, Joel Barish, luta para que as memórias de Clementine não se evaporem para sempre. Eu luto para que este filme nunca seja esquecido.

posted by not_alone @ 12:04 da manhã   2 comments
sábado, janeiro 06, 2007
Vídeo da Semana | Coldplay | The Scientist


Nobody said it was easy
It’s such a shame for us to part
Nobody said it was easy
No one ever said it would be this hard
Aww take me back to the start

Porque hoje esta musica adquire um sentido especial. Porque hoje, mais do que nunca, as palavras colam-se à minha pele....
posted by P.R @ 1:26 da tarde   3 comments
terça-feira, janeiro 02, 2007
Grandes Momentos | Requiem for a Dream
Requiem for a Dream é um filme duro, na verdadeira acepção da palavra. É um murro no estômago, uma experiência de vida. É um filme prodigioso na forma como foi escrito, filmado, montado e interpretado. Uma odisseia ao mundo das drogas, e das suas consequências. Uma experiência bruta que tem o seu clímax no final arrepiante. Neste grande momento, não conseguimos desviar os olhos daquilo que vemos. Somos completamente hipnotizados pela força e rapidez das imagens e pelo crescente de uma música que se tornou uma referência pela sua capacidade dramática. Um dos filmes mais marcantes da minha vida.

posted by P.R @ 6:38 da tarde   9 comments
 

takeabreak.mail@gmail.com
Previous Post
Archives
Cinema
>> Críticas
>> Filme do mês
>> Grandes Momentos
>> 10 Filmes de Sempre
>> Balanços
"Combates"
Críticas Externas
Música
>> Concertos
>> Discos
>> Sugestão Musical
>> Video da Semana
>> Outros
Teatro
TV
Literatura
Outros
Links
Affiliates