quarta-feira, outubro 31, 2007
Le Scaphandre et Le Papillon


Há filmes assim. Que nos agarram de surpresa, e de rompante, logo nas imagens iniciais e nos deixam num lugar mais distante, mais acolhedor, mais humano. Esta viagem, contada literalmente pela pálpebra de Jean-Dominique Bauby, personagem real cuja fatídica condição e consequente luta interior inspirou esta magnífica obra, é ilustrada de forma imaginativa e esplendorosa por Julian Schnabel. E é um vislumbre de emoções constante que nos é apresentado, uma alegoria profusa de sentimentos, cada pedaço de película povoado por coloridos fragmentos de magia cinematográfica e intensificados por uma história que nos comove e nos inspira, que nos faz crescer e nos faz acreditar. Um dos maiores filmes do ano.
posted by The Stranger @ 11:48 da manhã  
3 Comments:
  • At 1:22 da tarde, Blogger Paulo said…

    A curiosidade já era alguma, e depois de ler isto ficou ainda maior. Estás mesmo babadinho com o filme ;-)

     
  • At 2:19 da tarde, Blogger P.R said…

    LoL exacto... também me deixaste curioso. O problema é que nesta altura começam a surgir (novamente) os filmes interessante e é complicado conseguir dar a atenção devida a algum deles.

     
  • At 11:12 da tarde, Blogger Pedro Duarte said…

    Vi este filme faz amanhã 7 dias. Gostei muito. Tenho visto "críticas" demolidoras nos jornais, mas independentemente do que se possa falar sobre as interpretações ou outros aspectos que fazem um filme, este vale sobretudo (e de q maneira) pela mensagem que nos transmite...

    Recomendo vivamente (excepto a quem procure um filme de divertimento, claro)

     
Enviar um comentário
<< Home
 
 

takeabreak.mail@gmail.com
Previous Post
Archives
Cinema
>> Críticas
>> Filme do mês
>> Grandes Momentos
>> 10 Filmes de Sempre
>> Balanços
"Combates"
Críticas Externas
Música
>> Concertos
>> Discos
>> Sugestão Musical
>> Video da Semana
>> Outros
Teatro
TV
Literatura
Outros
Links
Affiliates