domingo, dezembro 31, 2006
Companhia Nacional de Bailado | O Lago dos Cisnes | Teatro Camões

O mundo torna-se mágico quando assistimos a um bailado. Os olhos prendem-se aos movimentos graciosos, os ouvidos são seduzidos pela música, o coração palpita de emoção. Assistir a um bailado é uma experiência enriquecedora mas assistir a um bailado acompanhado por música tocada ao vivo por uma orquestra é algo de sensorialmente deleitante e que é para mim praticamente intraduzível.

Decorreu até hoje no Teatro Camões a representação de O Lago dos Cisnes, bailado escrito por Piotr Ilyich Tchaikosvky no século XIX. A coreografia seguida pela Companhia Nacional de Bailado para esta apresentação foi a de Marius Petipa (também do século XIX mas não a inicial), adaptada por Mehmet Balkan.

A história de Odette, a princesa desafortunada que por ter conseguido o amor do príncipe Siegfried é condenada pelo maléfico tutor deste a transformar-se num cisne é um conto belo e trágico, que comporta em si uma dose intrínseca de encanto. A música de Tchaikovsky, positivamente arrebatadora, é responsável por elevar os sentimentos dessa história a uma dimensão superior, mas só a presença inebriante dos bailarinos faz de O Lago dos Cisnes um espectáculo completo e único.
Servidos por cenários extraordinários e com um guarda-roupa esplendoroso (sobretudo nos nas primeiras cenas dos dois actos), ambos da autoria de António Lagarto, O Lago dos Cisnes apresentado até hoje no Teatro Camões contou com o acompanhamento ao vivo da Orquestra Sinfónica das Beiras.
Haverá mais espectáculos no início de Janeiro próximo, mas com música gravada. Fica aqui a recomendação.
posted by H. @ 1:50 da manhã  
0 Comments:
Enviar um comentário
<< Home
 
 

takeabreak.mail@gmail.com
Previous Post
Archives
Cinema
>> Críticas
>> Filme do mês
>> Grandes Momentos
>> 10 Filmes de Sempre
>> Balanços
"Combates"
Críticas Externas
Música
>> Concertos
>> Discos
>> Sugestão Musical
>> Video da Semana
>> Outros
Teatro
TV
Literatura
Outros
Links
Affiliates