quarta-feira, maio 24, 2006
Código Da Vinci



Código Da Vinci é, antes de mais, um fenómeno global. Lido por mais de 40 milhões de pessoas, o livro de Dan Brown foi e é um marco na literatura mundial. Muitos acusam o livro de se enquadrar numa versão "light" da literatura. Eu não só discordo, pois o livro levanta algumas questões interessantes e pertinentes e porque se fosse assim tão ligeiro não se tinham insurgido tantas pessoas para o criticar, como acho que é sempre benéfico assistir ao facto de as pessoas, pura e simplesmente, lerem livros sejam eles o Código ou não. Na verdade, e tomando como exemplo Portugal, os hábitos de leitura são mínimos e, como tal, Dan Brown, independentemente da sua qualidade de escrita, tem já um aspecto muito positivo: pôs as pessoas a lerem.

Quanto ao filme, e é de referir que li o livro, é uma desilusão. A história literária era, perdoe-me os críticos do livro, muito boa em termos de entretenimento. Tinha acção, suspense e um ritmo alucinante que prendia o leitor. Por outro lado, o facto de levantar questões tão polémicas apimentava o livro, dando-lhe uma aura irresistível. No entanto, a adaptação ao cinema, e apesar de até ser fiel ao livro, não consegue dar-lhe a aura referida anteriormente. Quais as razões? Vamos por partes.

O argumento, por incrível que pareça, não está bem estruturado. Os flashbacks são usados em demasia e nem sempre são pertinentes. Para pior o cenário, aqueles que deveriam existir pura e simplesmente são ignorados. Um exemplo disso é o facto de não se explicar porque é que Sophie cortou relações com o avô (sim, porque no livro ele era mesmo avô dela). De facto, é pelo facto de eles estarem de relações cortadas que Sauniére recorre a Langdon. Ou seja, é esse o facto que potencia todo a história e o envolvimento das personagens principais. Por outro lado, essas mesmas personagens sofrem de um parco desenvolvimento que eu penso que seria necessário para dar um toque realista ao filme. No livro tal acontecia, e o filme deveria de ter seguido o mesmo exemplo. Contudo, não o fez e por vezes parece que estamos a assistir ao videojogo e não a um filme.

Quanto ao realizador, não tenho uma opinião tão inflamada como alguns. O seu trabalho não é genial, é factual, mas também não é o principal culpado pelo filme ser uma desilusão. Na verdade, a sua realização é normalíssima e está ao nível do filme, apática. Quantos aos actores, no filme, tal como no livro, grande parte do seu interesse nasce das personagens principais. E, curiosamente, os melhores desempenhos do filme acabam mesmo por ser de duas personagens principais, Paul Bettany e Ian McKellen, Silas e Lee Teabing, respectivamente, que conseguem o feito de desenvolver um pouco mais as suas personagens. Quanto a Tom Hanks, o seu desempenho não é assim tão mau como todos falam, mas, na verdade, este não consegue também ele sair da medianidade do filme. Quanto a Audrey Tatou, os meus receios foram confirmados sendo um notável erro de casting. A actriz não consegue dar a altivez, a segurança e a quase arrogância que Sophie Neveu tem no livro, acabando por se tornar um pouco chata e inconsequente. Dois últimos destaques, desta vez positivos, a banda-sonora e o final do filme. De facto, e principalmente este último aspecto foi uma surpresa, uma vez que o final do Código Da Vinci filme é muito melhor que o seu livro homónimo. Não que este seja reinventado, mas sobretudo pela espectacularidade que têm em detrimento da desilusão que foi o final do filme.

Enfim, Código Da Vinci enquanto filme sabe muito a pouco. Apesar do fenómeno que está a ser em termos de bilheteiras, a verdade é que a qualidade cinematográfica é enormemente inferior a quantidade dos números que desponta.

Classificação:
posted by P.R @ 3:57 da tarde  
1 Comments:
  • At 10:58 da tarde, Blogger H. said…

    concordo com a tua análise, sobretudo no que dizes sobre o livro e sobre as cenas omitidas (todos sabemos que "essa" informação não foi mostrada pq iria chocar algumas mentes puritanas). tb concordo com a tua avaliação dos actores... eu daria 3 estrelinhas em 5 no entanto...
    está mediano!

     
Enviar um comentário
<< Home
 
 

takeabreak.mail@gmail.com
Previous Post
Archives
Cinema
>> Críticas
>> Filme do mês
>> Grandes Momentos
>> 10 Filmes de Sempre
>> Balanços
"Combates"
Críticas Externas
Música
>> Concertos
>> Discos
>> Sugestão Musical
>> Video da Semana
>> Outros
Teatro
TV
Literatura
Outros
Links
Affiliates