sexta-feira, setembro 28, 2007
No Reservations

No Reservations poderia ter sido um pequeno filme bastante aceitável ou não fosse o seu realizador Scott Hicks o mesmo do bastante bom Shine – Simplesmente Genial ou do muito curioso Snow Falling on Cedars. No Reservations poderia ter sido um seguro passo seguinte mas, infelizmente, não é.
O filme centra-se na figura de uma chef, interpretada por Catherine Zeta-Jones. Perfeccionista e intransigente, ela é respeitada pelo seu trabalho mas tem uma vida pessoal bastante vazia (simbolizada pelo já típico “you have no messages” no atendedor de chamadas). A existência dela vai ser abalada por dois acontecimentos: a morte da irmã e consequente vinda da sobrinha para sua casa e a chegada de um sous chef extrovertido que nutre por ela uma exacerbada admiração e que, obviamente, se vai apaixonar por ela.
Já todos vimos estes pequenos dramas muitas vezes, nada há de particularmente novo e o facto se desenrolar em torno de um restaurante ainda o prejudica pelo timing, pois num ano em que tivemos nas salas Ratatouille a conversa culinária ficou mais que arrumada.
É verdade que Zeta-Jones não é uma presença desagradável e que Aaron Eckhart, mesmo com uma ridícula indumentária de trabalho, é peculiarmente charmoso. É verdade que reencontramos aqui Abigail Breslin, a menina de Little Miss Sunshine que continua luminosa. Mas também é verdade que uma realização certinha, prestações calorosas (conquanto medianas) e a bonita música (exageradamente utilizada) de Philip Glass não salvam um filme cujo argumento é fatalmente banal.

posted by H. @ 7:21 da tarde  
1 Comments:
Enviar um comentário
<< Home
 
 

takeabreak.mail@gmail.com
Previous Post
Archives
Cinema
>> Críticas
>> Filme do mês
>> Grandes Momentos
>> 10 Filmes de Sempre
>> Balanços
"Combates"
Críticas Externas
Música
>> Concertos
>> Discos
>> Sugestão Musical
>> Video da Semana
>> Outros
Teatro
TV
Literatura
Outros
Links
Affiliates