quarta-feira, julho 18, 2007
Grandes Momentos | The Royal Tenenbaums


Este grande momento surge como uma pequena provocação ao xôr Pedro Romão, a propósito de uma conversa muito recente na qual, quando questionado sobre o meu filme favorito dos anos 2000, respondi com firmeza tratar-se de The Royal Tenenbaums, escolha com a qual que ele fez questão discordar por completo.

Na verdade, sei que muito poucos me acompanham nesta escolha, mas o que é certo é que o meu amor pelo filme é muito grande, e o momento que aqui vos deixo é apenas um entre muitos passíveis de destacar, onde somos introduzidos à mais brilhante família cinematográfica do novo milénio, e ao mesmo tempo fica desde logo estabelecido o tom para aquilo que se seguirá. É um filme de uma perfeição desarmante, de personagens tão cómicas quanto trágicas, de uma carga dramática subtilmente dolorosa... E, já agora, com uma banda sonora genial. Por alguma razão, Martin Scorsese faz questão de eleger Wes Anderson como... o novo Scorsese.
posted by Juom @ 2:09 da tarde  
13 Comments:
  • At 2:52 da tarde, Blogger P.R said…

    Sôr Paulo Costa,

    Royal Teneubaums tem as suas virtudes, é um facto. É um belíssimo filme com um bom argumento, uma direcção de actores fantástica e uma realização bem acima da média. Agora... daí a afirmar que é o melhor filme da década vai um passo (bem) largo. Digo mais, tamanha afirmação é uma heresia quando comparamos este filme com verdadeiras obras-primas contemporâneas. Mas se as acções ficam para quem as praticam, também as palavras descansam na boca de quem as profere... ;)

     
  • At 6:45 da tarde, Anonymous Lídia said…

    Tem uma grande cena de tentativa de suicídio...

     
  • At 1:40 da manhã, Blogger Paulo said…

    Pedro, o problema é que alguns dos filmes que mencionaste como obras-primas nem como heresia se classificam, mas como pura ficção científica do planeta Namec, eheheh.

    Mas a sério, este é, quanto a mim, o melhor filme da década e dos meus favoritos de sempre. Tudo é demasiado perfeito aos meus olhos. Desde a subtileza na construção das personagens, ao mundo onde elas vivem, ao rigor dos enquadramentos, e o brilhantismo do humor. Até os cães são geniais, e são bem mais do que meros riscos de giz pelo chão :-P

    Lídia, essa cena poderia também ter sido recordada, assim como muitas outras que vejo e revejo vezes sem conta.

     
  • At 11:56 da manhã, Blogger P.R said…

    Andas a ver muito Dragonball ó Paulo! :)

    E by the way, eu não mencionei no meu comentário qualquer filme ;) Mas já que abres essa porta, afirmo com toda a convicção que Dogville, Mulholand Drive, Munich, Million Dollar Baby entre muitos outros são filmes incrivelmente superiores ao mediano "The Royal..."

    Sabes o que eu te digo? Vai mas é a procura das sete bolas de cristal para ver se ressuscitas o teu bom senso :P

     
  • At 5:22 da tarde, Blogger Paulo said…

    Xiii, essa foi forte :-P

    Dos filmes que mencionaste agora, só me parece mesmo que o Mulholland Drive chegue perto dos Tenenbaums (mesmo em termos de revisionamentos). E a convicção disso por aqui também é forte.

    Quanto à mediania do filme, depois de dizeres que "é um belíssimo filme com um bom argumento, uma direcção de actores fantástica e uma realização bem acima da média" já me parece birra :-P

     
  • At 5:30 da tarde, Blogger P.R said…

    LOL sabes que o se define como bom mau ou mediano é a comparação de a com b. Portanto, os The Royal Tenembaums é um belíssimo filme sim senhor. Agora, comparado com obras-primas torna-se claramente mediano. :)

    Esclarecido? :P Em caso de persistência de dúvidas ou sintomas por favor consulte o seu médico ou farmacêutico :D

     
  • At 7:06 da tarde, Blogger Paulo said…

    LOL!

    Quase que me entalava agora com a tua última frase. É melhor parar com isto. Acho que só vamos concordar quando eu te apontar uma pistola à cabeça... e mesmo assim tenho dúvidas :-P

     
  • At 8:03 da tarde, Blogger wasted blues said…

    Lembro-me de o ir ver ao cinema e ter estranhado e depois, num 2º visionamento, entranhado. Foi também o meu primeiro Wes Anderson mas, a partir daí, vi os seus outros filmes e gosto bastante do estilo. No entanto, não daria a nenhum o estatuto de obra-prima.

     
  • At 8:16 da tarde, Blogger Paulo said…

    Entre os filmes de Wes Anderson, apenas confiro tal estatuto a "The Royal Tenenbaums". Porém, todos os outros são encantadores. Mas este é simplesmente genial.

     
  • At 12:44 da tarde, Blogger P.R said…

    Grande Wasted :P

     
  • At 3:59 da tarde, Blogger Cataclismo Cerebral said…

    Já o Rushmore era um bom filme. Claro que este Royal Tenenbaums é superior... Admito que demoro a digerir os filmes do Wes Anderson, mas passado algum tempo recordo-os com admiração.

    Abraço

     
  • At 11:26 da tarde, Blogger Bruno Nunes said…

    Quer-me parecer que há aqui certas pessoas com muito pouca estima ao Dragon Ball.
    Vamos lá a ter juizinho.
    O Million Dollar Baby e o Munich ainda têm que comer muito feijão pra chegar aos tomates da família Tenenbaum, em especial aos tomates do sr Royal Tenenbaum :P

    - www.zurraria.blogspot.com -

     
  • At 10:40 da manhã, Blogger P.R said…

    Ei! eu estimo bastante o Dragon Ball :) Aliás, certos episódios dessa belissima série de desenhos animados conseguem ser melhor que o The Royal Tenenbaums LOL Kidding :P

     
Enviar um comentário
<< Home
 
 

takeabreak.mail@gmail.com
Previous Post
Archives
Cinema
>> Críticas
>> Filme do mês
>> Grandes Momentos
>> 10 Filmes de Sempre
>> Balanços
"Combates"
Críticas Externas
Música
>> Concertos
>> Discos
>> Sugestão Musical
>> Video da Semana
>> Outros
Teatro
TV
Literatura
Outros
Links
Affiliates