quarta-feira, junho 25, 2008
Deolinda | Canção ao Lado


Depois de A Naifa, Donna Maria ou até as Xaile, a alma portuguesa é revisitada por mais uma nova banda. A Deolinda.

"O seu nome é Deolinda e tem idade suficiente para saber que a vida não é tão fácil como parece, solteira de amores, casada com desamores, natural de Lisboa, habita um rés-do-chão algures nos subúrbios da capital. Compõe as suas canções a olhar por entre as cortinas da janela, inspirada pelos discos de grafonola da avó e pela vida bizarra dos vizinhos. Vive com 2 gatos e um peixinho vermelho..."

Assim se apresenta esta menina, na sua página do myspace. O alter-ego é encarnado por Ana Bacalhau, a carismática voz da banda. Das raízes do Fado, nasce uma visão fresca de Lisboa, em particular, e de Portugal, em todo o seu esplendor, para o melhor e para o pior. É crítica social, é farra e saudade (e tudo o que é tão português). Querem quebrar todos os preconceitos associados ao Fado (não usam, em nenhuma canção, guitarra portuguesa). Querem-lhe dar a cor e a alegria que também são tão nacionais como a melancolia.

As suas influências, por mais variadas que sejam, têm em comum a forte mudança que ainda hoje se sente na música portuguesa. As letras de Zeca Afonso, a melodia dos Madredeus, o humor pertinente de Sérgio Godinho... Deolinda cresceu a ouvir todas estas histórias de lendas portuguesas e agora canta-as, para levar ao mundo o nosso povo único, e a forma como ele ama. Deolinda é popular no sentido mais meigo do termo - é sobre o povo, para o povo e, em especial, pelo povo.

Se vierem Deolinda à janela, ouçam as histórias que tem para contar. E sorriam por sermos portugueses, mesmo que não estejam envolvidos no assunto 11 senhores e uma bola.

posted by not_alone @ 11:14 da tarde  
3 Comments:
  • At 5:44 da tarde, Blogger P.R said…

    É um album absolutamente delicioso! :)

    Boa sugestão!

     
  • At 11:26 da tarde, Anonymous miguel said…

    só o facto de ser fado sem guitarras portuguesas (ou frigideiras, como lhe chama o meu professor de guitarra) já deve valer a pena, sim senhores. vou tentar espreitar este projecto.

     
  • At 12:18 da manhã, Blogger Paulo said…

    Estou viciado, é um álbum bastante equilibrado, ouve-se muito bem de uma ponta à outra, e tem temas verdadeiramente brilhantes. E agora, fon-fon-fon.

     
Enviar um comentário
<< Home
 
 

takeabreak.mail@gmail.com
Previous Post
Archives
Cinema
>> Críticas
>> Filme do mês
>> Grandes Momentos
>> 10 Filmes de Sempre
>> Balanços
"Combates"
Críticas Externas
Música
>> Concertos
>> Discos
>> Sugestão Musical
>> Video da Semana
>> Outros
Teatro
TV
Literatura
Outros
Links
Affiliates